Velejadora Dee Caffari planeja liderar um barco na próxima edição da The Ocean Race

Atleta britânica foi skipper da equipe Turn The Tide On Plastic na última edição da regata de volta ao mundo.

​A histórica velejadora Dee Caffari demonstrou, recentemente, o desejo de ser a comandante de uma embarcação na próxima edição da The Ocean Race, conhecida, internacionalmente, como regata de volta ao mundo.

Mais que isso, a atleta busca introduzir ainda mais as mulheres no mundo náutico.

Em uma entrevista para o veículo de Hong Kong ( South China Morning Post), Dee ressaltou o trabalho de sustentabilidade da competição e que isso foi vanguarda para buscar mudanças em outras áreas da modalidade.

“Eu adoraria liderar uma equipe na próxima edição da The Ocean Race e ser capaz de continuar espalhando a mensagem de sustentabilidade, bem como promover a igualdade de gênero”, declarou a velejadora, que é reconhecida por ser a primeira mulher a navegar sozinha, sem paradas e do “jeito errado”, ou seja, contra os ventos e as correntes predominantes.

O curioso é que a equipe ao qual Caffari fez parte na última The Ocean Race, a Turn The Tide on Plastic, estava com uma tripulação que era 50% feminina.

“Como primeira equipe mista a participar, fomos considerados prejudicados. Além disso, nosso tempo de treinamento foi limitado. Ou seja, as chances estavam contra nós. No entanto, nosso desempenho foi melhorando de forma constante”, ressaltou Dee Caffari.

Por falar em sustentabilidade, Caffari abordou sobre como o esporte pode iniciar novas tendências e transmitir mudanças positivas para todo o mundo.

“Precisamos incentivas as autoridades e organizações para exigir mudanças. Fazer com que fornecedores e parceiros também entrem nessa onda sustentável. Isso trará a certeza de que atingirá um grande público. Meu conselho é ser ousado”, finalizou a velejadora.

Caffari, após o fim da The Ocean Race, tornou-se presidente da World Sailign Trust, órgão criado pelo World Sailing, em 2018.

A entidade foca em duas áreas: saúde marinha e acesso para os jovens.